Carta à minha filha... 6 meses

Minha amada filha Cecília...

Essa semana você completou 6 meses de vida, e eu completei 6 meses de mãe.
Quero te contar que você é um presente de Deus, e que nos trouxe uma felicidade maior do que poderíamos imaginar. Espero que você goste desta família que Deus te deu.
Quero te contar que você nasceu muito bem, filha, exatamente no dia esperado, foi um parto normal e tranquilo, você veio perfeita e saudável.
Quero te contar que no inicio as coisas não foram fáceis. Você estava descobrindo um mundo novo, e eu tentando descobrir como lidar com a maternidade, como cuidar de um bebê tão pequeno e delicado como você.
Você sempre foi um bebê tranquilo, mas as vezes tinha algumas dorzinhas, ou algumas inseguranças, que eu e seu papai não sabíamos decifrar, nós te dávamos colo, banho, massagem, peito... e então você se acalmava.
Geralmente você dormia bem, acordava para mamar e dormia de novo. Obrigada, pois você nunca me fez passar uma noite toda em claro. As vezes demorava a dormir, mas pegava no sono, acordava de madrugada mas dormia de novo. As vezes eu estava tão exausta, minha filha, que dormia enquanto você mamava, me desculpe por isso.
Aliás, a amamentação foi difícil no começo. Você tinha muita fome, pois precisava crescer e precisava se sentir confortada no mundo aqui fora, e eu sentia muita dor, as vezes chorava. Mas fomos persistentes, eu e você, e conseguimos! Hoje te amamentar é um prazer.
Quero te contar que você sempre foi muito risonha e simpática. Todos te acharam muito linda com seus olhos azuis e seu cabelinho dourado que começava a aparecer.
Você precisou fazer uma cirurgia quando tinha 45 dias de vida, não era nada grave, mas nos deixou muito apreensivos te entregar nas mãos do médico em um centro cirúrgico. Felizmente correu tudo bem e você se recuperou rapidamente.
Quero te contar que cada evolução sua, nos causa um sentimento de vitória tão grande, que esquecemos as dificuldades que passamos. Que as vezes tenho vontade de chorar de tão feliz que eu sou ao te olhar dormindo tranquila no berço, ou no meu colo. Que quando você acorda chorando, eu corro até sua caminha e ao me ver você abre um sorriso, e não tem salário que se equipare ao valor dessa sensação.
Falando em salário, eu contava, com dor, cada dia a menos da minha licença maternidade, pois me doía pensar em me separar de você tão precocemente. Te inscrevi na creche, e quando surgiu uma vaga comecei a te levar por meio período. Era horrível pensar que quando eu voltasse a trabalhar ficaria longe de você 10 horas por dia. Somando a umas 10 horas de sono que você dorme por noite, eu teria apenas 4 horas por dia para ficar com você, isso me corroía por dentro. Então me ligaram do meu trabalho e me disseram que eu seria dispensada. Isso foi no mês passado, e até agora eu ainda não sei direito como vamos nos manter sem o meu salário, mas o papai tem trabalhado muito. E eu confesso que fiquei muito feliz em saber que eu mesma vou cuidar de você.
Quero te contar que tinha medo que seu pediatra dissesse que seus irmãos gatos poderiam te fazer mal, e foi um alívio quando ele nos disse que os animais fazem bem as crianças, fortalecendo o sistema imunológico entre outros benefícios. E você gosta deles, fica acompanhando quando eles passam, estica a mãozinha para acariciá-los. De vez em quando você precisa dividir o berço com a Petit, pois ela adora dormir no cantinho. E eu tenho um palpite que você e o Will serão muito amigos.
Outra coisa que já percebemos que você gosta, é de música e dança. Confesso que cantava, e canto, algumas músicas gaúchas para você se acalmar ou dormir. Mas no último mês voltamos aos ensaios do CTG e você vai conosco, e fica muito animada ao ver todos dançando, bate as perninhas, e fica observando a dança com muita atenção. Bem, você estava acostumada com tudo isso desde a minha barriga, então deve se sentir bem.
Quero te contar que é uma delícia arrumar e escolher as suas roupinhas, que adoro deitar no chão e brincar com você no tapete, que as vezes seu papai inventa aquelas viagens de última hora e você geralmente vai comportadinha, que adoro ver suas risadas quando seu papai chega te aperta, te agarra e te beija.
Enfim... meu amor, quero te contar que você redefiniu nossos conceitos de felicidade.
Com amor... sua mãe







Postar um comentário

Nossas Redes Sociais