8 de setembro de 2010

O tombo, o joelho quebrado e a recuperação

é... estou eu aqui, de molho, com a perna engessada. Caí de moto e quebrei o joelho e arrebentei um ou dois tendões (até agora o médico não me explicou direito), foi no dia 24 de julho, e esse post estava aqui salvo em rascunhos faz um tempão e eu não tinha ânimo para escrever. Não estou muito a fim de falar da minha "enfermidade" rsrsrs mas enfim: eu sofri uma fratura no joelho, foi num sábado, tive que passar por cirurgia na segunda-feira, fiquei com a perna engessada por mais ou menos 30 dias e agora estou com um imobilizador (aqueles com velcro) que é bem menos desconfortável que o gesso.Foi colocado um parafuso (que por sinal é enorme) e ele ainda está aqui no meu joelho, por isso não possso nem pisar no chão com essa perna. Semana que vem devo voltar no médico, se tiver tudo bonitinho iremos marcar outra cirurgia para retirar o parafuso.
O dificil disso tudo é aprender a esperar, aprender a depender dos outros, aprender a ter paciência, aprender a ficar quietinha, paradinha, aprender que usando muletas não dá para sair correndo... fiquei alguns dias na casa da minha mãe porque no começo não conseguia nem ir ao banheiro sozinha, era muita dor nem tanto na cirurgia mas muito, muito mesmo nos tendões. Agora estou na minha casa, já consigo me virar sozinha e também meu marido ficava implorando para eu vir logo pra casa! rsrsrs
Na verdade devo agradecer muito a meu marido e a meus pais, que estiveram sempre disponíveis para me ajudar, sempre preocupados comigo e foram  muito compreensivos durante minha fase de stress e chatice, principalmente meu marido, eu reclamava tanto, chorava tanto, mas imagina só: de uma hora pra outra você ter que parar com toda sua rotina, deixar de lado todos os seus planos para ficar de repouso, esperando pacientemente que seus ossos "se soldem" novamente. É duro olhar sua casa virada de ponta cabeça e não poder fazer nada, é dificil quando você está com fome ter que pedir pra alguém trazer um café, e o pior de tudo era a hora de tomar banho com aquele gesso pesado e ... ahhh prefiro não comentar, rsrsrs.
Aos poucos fui aceitando minha nova situação e procurando o que fazer para passar o tempo, fiz muito crochê, já li alguns livros, fiz mais crochê rsrs e haja sessão da tarde rsrsrs
O negócio é que pelo que o médico falou e pelo que andei lendo, pesquisando e conversando com quem já passou por isso, ainda falta muito para minha vida voltar ao normal. Agora ainda vai ter essa recuperação depois que tirar o parafuso, depois que o médico me liberar da fratura começam as fisioterapias que podem ser muitas e muitas sessões. É incrível como a perna perdeu as forças, está super magrela, muito mais do que já era (rsrs) e tenho que fazer um grande esforço para mexer alguns centímetros.
Sem contar a parte que estou sem receber salário e minha perícia foi marcada para 22 de outubro... ou seja, até lá se vira nos 30, sem nenhum vintém, agora entendo porque todo mundo reclama do INSS, isso é absurdo 3 meses para fazer uma perícia.
Por hoje era isso!!!



No hospital (foram 5 dias de internamento)



No hospital no dia de fazer curativo

Em casa depois de alguns dias com o gesso

O lado bom: ganhei flores do marido, lindas né?!!!

A gatinha da mãe, minha companheira nos dias que fiquei de cama
Postar um comentário