30 de dezembro de 2012

Fim de ano, época de...

Fim de ano... cansaço batendo e esperanças se renovando.
É hora de rever os conceitos, limpar os armários e faxinar a vida.
É hora de fazer promessas impossíveis e crer com toda a força que iremos conseguir alcança-las no ano novo.
 Hora de revisar os bons e maus momentos do ano que se encerra.
Lembrar das festas, das risadas, dos amigos...
Lembrar dos que partiram, das ausências, das tristezas e das lágrimas.
Agradecer por tantas bênçãos recebidas no decorrer do ano e pedir muito mais para o próximo.
Fim de ano é época de rever parentes, de esquecer a dieta e de se acabar fazendo festa.
Fim de ano bate uma melancolia.
Olho-me no espelho e penso como o tempo pode passar tão depressa.
Ainda estes dias eu estava na faculdade cheia de sonhos. Hoje a realidade me desperta toda manhã.
Ainda estes dias eu era só uma menina. Hoje me vejo uma mulher, cheia de responsabilidades e compromissos. Que tem que tomar decisões, que é suscetível a julgamentos, que é cobrada a acertar sempre. 
Ainda estes dias eu andava cantarolando canções melosas. Hoje... ah hoje, eu ainda cantarolo canções melosas quando estou sozinha e ninguém pode me escutar.
Fim de ano bate uma melancolia. Será que estou acertando meu rumo?
Fim de ano é época de folga, férias e feriados.
Fim de ano é tempo de confraternizações, jantares e amigos secretos.
E você tem que estar sempre linda, feliz e sorridente.
Fim de ano é a época em que todos se amam, se abraçam e desejam o típico “tudo de bom pra você”.
Fim de ano às vezes bate uma vontade de fugir... dar uma sumidinha rápida, sem dar satisfações a ninguém.
Fim de ano... época em que você fica cheia de obrigações, e deve ser prestativa e boazinha.
Fim de ano... enfim, época de fechar ciclos.
Época de começar a escrever uma nova história, não porque um ano novo começa, mas porque é a época em que todos imaginam que se abre uma página em branco, novinha, para que escreva o que quiseres durante o ano novo. 
E tudo pode ser diferente, ou nem tudo.
Algumas coisas podem ser diferentes e outras podem continuar imutavelmente iguais.
Meia noite: fim de ano...
Um segundo da madrugada: começo de outro ano.
E tudo continua igual, no mesmo lugar. Muda apenas o último dígito do ano. Porque não é o ano que muda as coisas e as pessoas, somos nós que temos esse poder.
Vamos ser felizes nesse novo ano, nos permitindo alguns momentos de tristeza.
Vamos ser cautelosos, nos permitindo alguns momentos de insegurança.
Vamos correr riscos, vamos ter bons e maus momentos, vamos sorrir e vamos chorar. Vamos amar e vamos brigar. Porque somos humanos e tudo isso tem que fazer parte da nossa vida.
 
Alva Gonçalves
28/12/2012

Postar um comentário