17 de fevereiro de 2015

Resenha: Ligeiramente Casados - Mary Balogh



Comecei a ler Ligeiramente Casados em busca de uma nova série de época para me apaixonar, já que a série Os Hathaways está acabando. Fiquei apaixonada pelo livro, foi o primeiro que li da Mary Blogh mas amei a escrita dela. É romântica e direta, não enrola demais descrevendo pessoas e lugares minuciosamente, mas os descreve bem. A leitura flui, as coisas vão acontecendo no ritmo certo, é encantadora.
Ligeiramente Casados conta a história de Eve e Aidan. Eve é uma moça rica mas não faz parte da aristocracia, e tem um coração bondoso até demais, acolhe todos os "incapazes" que aparecem na região e lhes dá abrigo e emprego. Ela é dona de uma fazenda, o Solar Ringwood, que herdou do pai. Seu irmão está na guerra.
Aidan é o segundo irmão de uma das famílias mais importantes da aristocracia, e como todo segundo irmão ele teve que seguir a carreira militar, se tornando coronel.
Aidan é o coronel de Percy, irmão de Eve, e quando ele está para morrer, faz Aidan prometer que levará a notícia pessoalmente a irmã, e que a protegerá. Sendo assim, um belo dia Aidan chega ao solar Ringwood para dar a notícia a Eve, e acaba descobrindo que ela pode perder tudo o que tem, se não se casar em uma semana. Para honrar a promessa que fez a Percy, Aidan se casa com Eve. Um casamento de conveniência.... mas as coisas acabam mudando.
Aidan é um charme com seu jeito sério e  fechado, enigmático. Eve é uma mocinha diferente do comum, ela é muito independente e não fica se fazendo de coitadinha. Ao longo de toda a trama existem elementos que diferenciam este romance dos demais romances de época, o fato de ambos terem um passado, os filhos adotivos de Eve, a história de cada incapaz que ela acolheu, e por aí vai.
Ligeiramente Casados é apaixonante, espero ansiosa pelo próximo livro da Família Bedwyn  " Ligeiramente Maliciosos" (só não gostei muito do título). E espero mais ansiosamente ainda, pelo livro de Wulf, o Duque de Bewcastle, preciso descobrir o que há por trás daquela fachada de frieza e arrogância. Se Aidan é enigmático, Bewcastle é o mistério e a obscuridade em pessoa.


Trechos preferidos:

"Existe algo infinitamente melhor do que felizes para sempre. Há a felicidade. Que é algo vivo, dinâmico, e tem que ser cuidada a cada momento pelo resto de nossas vidas. É uma perspectiva muito mais empolgante do que a ideia tola e estática de um felizes para sempre. Não concorda?"






Sinopse:


À beira da morte, o capitão Percival Morris fez um último pedido a seu oficial superior: que ele levasse a notícia de seu falecimento a sua irmã e que a protegesse – “Custe o que custar!”.
Quando o honrado coronel lorde Aidan Bedwyn chega ao Solar Ringwood para cumprir sua promessa, encontra uma propriedade próspera, administrada por Eve, uma jovem generosa e independente que não quer a proteção de homem nenhum.
Porém Aidan descobre que, por causa da morte prematura do irmão, Eve perderá sua fortuna e será despejada, junto com todas as pessoas que dependem dela... a menos que cumpra uma condição deixada no testamento do pai: casar-se antes do primeiro aniversário da morte dele – o que acontecerá em quatro dias.
Fiel à sua promessa, o lorde propõe um casamento de conveniência para que a jovem mantenha sua herança. Após a cerimônia, ela poderá voltar para sua vida no campo e ele, para sua carreira militar.
Só que o duque de Bewcastle, irmão mais velho do coronel, descobre que Aidan se casou e exige que a nova Bedwyn seja devidamente apresentada à rainha. Então os poucos dias em que ficariam juntos se transformam em semanas, até que eles começam a imaginar como seria não estarem apenas ligeiramente casados...
Neste primeiro livro da série Os Bedwyns, Mary Balogh nos apresenta à família que conhece o luxo e o poder tão bem quanto a paixão e a ousadia. São três irmãos e três irmãs que, em busca do amor, beiram o escândalo – e seduzem a cada página.


Postar um comentário