9 de outubro de 2014

Livro: Manhã de Núpcias – Lisa Kleypas

Resenha: Manhã de Núpcias – Lisa Kleypas – Os Hathaways 4


 Chega a vez de nosso adorável Leo Hathaway, Visconde de Ramsay mostrar que ele não é só mais um rostinho bonito e uma língua afiada, mas sim, que também possui um coração.
Já no final do livro 3, Tentação ao pôr do Sol, acontece uma coisa inesperada, que é o beijo entre Leo e Catherine Marks, a governanta. Bom, nem tão inesperada né?! Afinal depois de tanta implicância, estava claro que havia um algo mais entre esses dois, que nenhum deles estava disposto a assumir.
Enfim, o livro começa exatamente onde Tentação ao pôr do sol parou, Leo persegue Cat por causa da história da tinta de cabelo e descobre que ela é loira e linda, e ela tenta esconder toda essa beleza. Então vem a pergunta que não quer calar, por quê?
Bom, aí a autora nos deixa dar asas à nossa imaginação para tentar imaginar qual seria a coisa terrível oculta no passado de Cat, a qual ela não quer revelar de maneira alguma. E isso vai longe,  até que possamos finalmente descobrir o segredo da Srta Marks.
Paralelamente, Merripen e Cam são informados pela viúva do antecessor de Leo, antigo Lorde Ramsay, que eles podem perder a propriedade. Analisando a documentação, descobrem uma exigência nos documentos de Ramsay House de que o novo Visconde deveria se casar e produzir um herdeiro até uma certa data, sem isso eles teriam que devolver a casa a Sra. Viúva e sua filha. Enfim Leo Hathaway o solteiro mais convicto da literatura de época terá que se casar, ou entregar a casa.
Sendo assim, Amelia resolve dar um baile em Ramsay House, que nada mais é do que uma caça à noiva, e convidam muitas moças “elegíveis”, afinal Leo é um visconde , apesar da excentricidade da família.  Nesse baile as coisas começam a esquentar... a filha do falecido visconde aparece e se interessa por Leo, alguém ligado ao passado de Catherine também aparece no baile,  melhor eu não contar  mais pra não cometer spoiler.
Assim se desenrola mais esse capítulo da história dos Hathaways. A partir do primeiro beijo entre Leo e Catherine, se acende uma faísca que não se apaga assim tão facilmente, e os dois começam a se sentir cada vez mais atraídos, mesmo negando isso até a morte. Porém a convicção de solteirice de Leo, e o segredo de um passado obscuro de Catherine podem colocar as coisas a perder.
Cam Rohan, Merripen e Harry estão, como sempre, cada vez mais apaixonantes, e Leo está adoravelmente sarcástico. Tenho que citar uma conversa entre ele e Harry, mesmo incorrendo em Spoiler. Por isso se você ainda não leu o livro, por favor, pule este parágrafo que vou escrever agora e continue a leitura dos pontinhos para baixo. Se você já leu, me diga se algum outro personagem de toda a literatura, a não ser Leo Hathaway, poderia ter dito isso:

.

.

.

.

- A única coisa que me faria feliz seria amarrar pedras em você e atirá-la no Tâmisa.
- Compreendo. E até mesmo concordo. Não consigo imaginar como seria encarar um homem que tivesse desonrado uma de minhas irmãs, seria difícil evitar matá-lo na mesma hora. Ah, mas espere... eu consigo sim. Porque passei por isso dois meses atrás.
Harry semicerrou os olhos. - Não foi a mesma coisa, sua irmã ainda era virgem quando me casei com ela.
Leo lançou um olhar desprovido de arrependimentos.
- Quando desonro uma mulher, faço isso direito.

.

.

.

.

.

.

.
Portanto Manhã de Núpcias é um livro encantador, lindo, engraçado, enfim... é Lisa Kleypas, é “Os Hathaways” e  isso quer dizer perfeição!
P.S. Leo é um lindo, assim como Harry e Merripen, mas eu continuo fiel ao Cam Rohan, a espera de ele aparecer a meia noite com seu pooka e me levar para um passeio. Quando voltar, nunca mais serei a mesma!
Fiquei melancólica, (risos) é que quando terminei de ler Manhã de Núpcias, eu acabei relendo Desejo á Meia-noite e Sedução ao amanhecer... são tão lindos. O que será de mim quando essa série acabar?
Trcehos:
Leo irritando a Srta Marks:
“- É mesmo tão impossível para a senhorita mencionar partes corriqueiras do corpo? Seios, quadris, pernas... Por que lhe parece indecente falar sobre a anatomia humana de modo direto?
Ela semicerrou os olhos.
- Porque isso leva a pensamentos impróprios.
Leo sorriu maliciosamente. - Os meus já são.
- Bom, os meus não. – rebateu Catherine – e prefiro que continuem assim.
- A senhorita não tem pensamentos impróprios?
- Dificilmente.
- Mas quando tem, como são?
Ela lançou-lhe um olhar indignado.
- Já fiz parte de seus pensamentos impróprios? – insistiu Leo, fazendo o rosto dela arder.
- Já lhe disse que nunca tive nenhum.
- Não, a senhorita disse “dificilmente”. O que significa que um ou dois já andaram rondando por aí.
(...) - Eu não pensaria mal da senhorita, caso eu tivesse feito parte deles. – insistiu Leo – Na verdade eu gostaria muito mais da senhorita.
- Sem dúvida. – retrucou Catherine – Provavelmente prefere mulheres sem qualquer virtude.
- A virtude numa mulher, é como pimenta na sopa. Um pouco é um bom tempero. Mas em excesso até tira o apetite.”
Leo sendo sarcástico, ou seja, Leo sendo Leo:
“- Fui chamado nos estábulos. – disse Cam – Encontrei suas irmãs preocupadas, e as criadas histéricas porque você resolveu se fechar num quarto com a Srta Marks. Não pode se aproveitar de uma mulher que trabalha para você. Sabe disso.
- Antes de entrar no terreno da moralidade – disse Leo – não vamos nos esquecer de que você seduziu Amelia antes de se casar com ela. Ou corromper uma inocente é aceitável contanto que ela não esteja trabalhando para você?
(...) - A Srta Marks demonstrou o que deseja?
Leo assentiu. - Ela está com pavor de encarar isso. Porque Deus a livre, possivelmente deseja a mim.”
Músicas que combinam com o livro:
Dessa vez vou postar duas músicas, pois acho que essa primeira música, combina muito com o Leo, quando perdeu a noiva Laura, e sabemos como foi seu sofrimento.
Flor madrugueira
(Jairo Lambari Fernandes - Letra completa aqui.)
Mesmo num banco vazio, Teus olhos claros de rio,
Trazem a paz que mereço por amar quem já partiu,
A saudade é como um frio que encaranga corpo e alma,
E quando vem nos traz a calma ao meu semblante sombrio
E neste sonho acordado, te sinto flor madrugueira,
Abrindo as minhas porteiras pra afogar a solidão,
No silencio do galpão, Entre a paz do teu aceno,
Choram dois olhos morenos, Pra dor de um só coração.
 
 
Para Catherine e Leo, Sonho em flor, de Luiz Marenco:
Letra completa aqui
E eu que andei tão distante me encontrei em mim
Sem mesmo perceber que a vida pode ser assim...
Ter a graça de uma flor bonita, dessas corticeiras
E ao mesmo tempo ser por inteira, aquilo tudo que já sonhou.
(...)
Deixa meu sonho acordar o teu
E o meu silêncio te adormecer
Quando a saudade vier me ver
Com teu sorriso... na minha janela
 
 
 
 
 
Postar um comentário