25 de agosto de 2014

Crônica às mães de filho homem

Lembrando a Bíblia em Gênesis 2.24: “Por isso, deixa o homem pai e mãe e se une à sua mulher, tornando-se uma só carne”.



CRÔNICA ÀS MÃES DE FILHO HOMEM

Se você é mãe de filho homem preste muita atenção. Recomendo que leia atentamente até o final, e coloque em prática, claro. Porque se for para não colocar em prática não adianta ler. Depois não venha me dizer que eu não avisei.
            Quando seu filho tiver por volta de 12 a 15 anos ele já não dependerá mais de você, não financeiramente, porque isso muitas dependem até ficarem velhos. Aliás já vá preparando ele para ser independente financeiramente, você não quer ficar sustentando marmanjo até os 40? Ou quer?
            O que quero dizer é que por volta dos 15, ele não dependerá mais de você prático e emocionalmente, pelo menos não tanto quanto você gostaria, ou seja, ele já se vira sozinho. Bem ou mal mas se vira.
            Essa é a hora de você, mãe, começar a pensar na sua independência, parar com essa carência de filho. É sério. Aproveite pra ficar de frescurinha com o seu filho até os 15, no máximo 17 depois disso você tem que libertá-lo da barra da sua saia. E tem que se libertar também.
Depois dessa idade, mais cedo ou mais tarde, vai aparecer outra mulher na vida dele. Na verdade vai aparecer “A mulher da vida dele”. Porque você, não se engane você é a mãe, você é a mulher da vida do seu marido, se convença disso. O seu filho vai conhecer uma pessoa que será a mulher da vida dele, e essa pessoa não é você.
Pois bem, para que chegue nessa fase sem muitos problemas você tem que entender que seu filho cresceu, e que você também já é bem grandinha e sabe das coisas. Como você se virava sozinha antes do seu filho nascer? E agora tem que ficar pedindo ou mandando que ele faça as coisas pra você? Admita você gosta de ser dependente dele não é? Mas isso pode fazer muito mal pra ele mesmo e pra você. É hora de mudar.
Se olhe no espelho, você já tem mais de 5 anos de idade não é? Onde está aquela mulher confiante, cheia de autoestima e atitude?
Outro dia ouvi um senhor falar uma frase que marcou muito, ah se todos os pais e mães pensassem e encarassem a vida como esse senhor. Dizia ele ao amigo que lhe perguntou dos filhos, que já estavam casados: - Pois é... a gente começa a vida em dois, e termina em dois. – Sábia frase do senhorzinho, tem pleno conhecimento do ritmo da vida, as coisas são assim e ponto. Nada de ficar se lamentando, ele já sabia que começara a vida, o lar só ele e a esposa, e iria acabar só ele e a esposa, por mais que os filhos os rodeassem e marcassem presença, o lar, a casa, a cumplicidade, era entre ele e a esposa. Os filhos precisavam criar asas e voar.
O detalhe é que você, leitora, mãe de filho homem tem muita dificuldade em pensar que outra mulher poderá fazer seu filho feliz não é? Você tem que lembrar-se daquela frase batida: “Cria-se filhos para o mundo e não para a gente”. Você tem que ser independente e deixar seu filho seguir o caminho dele.
Eu sei que você pensa que aquela mulherzinha por quem ele se apaixonou é umazinha e que ela não vai dar tudo o que ele merece. A menina pode ser cheia de qualidades, mas para você nunca será suficiente. Talvez você até ache que a filha da vizinha seria uma mulher melhor para seu filho. Isso até que ele se interesse realmente pela filha da vizinha, momento em que você, instantaneamente passa a odiá-la. Eu sei. É mal de mãe de filho homem.
O negócio é o seguinte, você tem que parar de se meter na vida dele, CHEGA! Cuide da sua vida, se interesse por você mesma, pela sua casa, seu trabalho, seu marido. Viaje, visite as amigas, vá para a academia, enfim se distraia e deixe seu filho e a mulher dele em paz.
Por mais que você ache que está ajudando, na verdade você só atrapalha. Suas opiniões, por mais interessantes que sejam, sempre serão encaradas pela sua nora como “meter o bedelho onde não é chamada”, e ela vai ficar com raiva de você.
Outra coisa são as coisas urgentes que você exige que seu filho faça, por favor tente se controlar. Será mesmo que você não consegue trocar uma lâmpada sozinha? E será que antes de ligar para o seu filho em um horário inadequado, você não poderia pedir para o seu marido fazer a tal coisa urgente?
Eu sei, você acha que seu filho só pode ser feliz perto de você, com as roupas que você lava e passa e com a comida que você faz, mas você já pensou que a felicidade dele passa bem longe disso? Talvez você não goste da mulher que ele escolheu, talvez ela fale demais... não cale a boca um minuto, ou fale de menos, talvez ela seja do tipo que entra muda e sai calada. Talvez ela se vista espalhafatosamente colorida ou talvez, seja tão elegante que gaste rios de dinheiro em roupas e calçados. Talvez ela seja meio neurótica, talvez ela fume, talvez ela prefira ir pra rua jogar bola com as crianças do que tomar chá com você. Talvez ela também te deteste, mas te aguenta porque ela ama o seu filho. E você tem que entender que ele a escolheu, e que talvez tudo isso que você julga serem defeitos são as qualidades que fizeram seu filho se apaixonar.
Você também tem que ter consciência de que não é eterna, e de que, se a vida seguir seu curso normal, um dia você vai morrer e seu filho vai continuar a vida dele. E se ele só tinha você, ele vai ficar sozinho no mundo... pense bem. Devia estar orgulhosa por seu filho se tornar um homem, ser independente, cuidar da própria vida, fazer suas próprias escolhas. Deixe-o voar! E voe você também.
O seu filho não vai mais estar disponível 24 horas para abrir suas latas de ervilha e seus vidros de conserva, você terá que reaprender a fazer isso. Por isso que eu digo, quando ele chegar aos 15 (no máximo) comece a trabalhar a sua independência, para o seu próprio bem, e para que você não se transforme na abominável mãe xereta, que se mete em tudo e não consegue fazer nada sozinha.
Pode ter certeza, quando você liga para ele e fica falando incansavelmente como foi o seu dia, e tudo o que você fez ou deixou de fazer. Ele deixa o telefone longe do ouvido e só fala aham... aham, ele não está dando a mínima para você. Na verdade, ele está prestando atenção na esposa que penteia os cabelos depois do banho. E preste atenção, com certeza, depois de você despejar toda a sua enxurrada de novidades (com um fundo de amargura) ele vai dizer: Então tá mãe. Tchau! A esposa vai perguntar: - O que sua mãe queria? – E ele vai responder: - Nada demais. – Sabe por quê? Porque não prestou a menor atenção no que você falou, porque o que realmente interessa para ele é aquela casa, aquela mulher e aquela vida que ele leva agora, independente, sem você!
Viva você também independente, pense na sua casa, no seu marido, na sua vida e deixe seu filho ser feliz por conta própria. Assim você vai descobrir que também é capaz de ser feliz, sem essa dependência doentia que faz tanta questão de impor.
 
 
 
 
 
Velha crônica que escrevi em Setembro/2012.
 
 
 
 

Postar um comentário