24 de julho de 2014

Ser Lageano

Diretamente do facebook da página Lageanês: https://www.facebook.com/#!/Lageanes
 
Ser Lageano é Esperar o ano inteiro por um pouco de pinhão no almoço, no café e na janta.
Comer umas vergamota depois do almoço e fazer guerrinha de semente.
Lagartear no sol;
Ser criado a biju com leite;
Fazer misturas loucas como pão com mel e torresmo;
Largar uma banana (LÓ) no meio do prato no almoço;
Pão caseiro com margarina e açucar por cima;
É ser criado macetando pinhão assado... na chapa do fogão a lenha da vó;
Ter tomado bugiu da mirtes na festa do pinhão e ter dito " é ruim mas é bão";
É dizer "capaizomi", "daondiloco", "Alejaaaada", "mas pare home", "tibinga", "pechada", "bijajica", " "inticar", "aizé atentado", "piá", "sossegue a periquita", "dejaoje", "fora da casinha";
É ter passeado no tanque jogando pão pros patinhos de verdade;
Pedir pão d'água na venda, em outro lugar do Brasil, e receber um ( ÃÃÃNN?)
É ter alguma cicatriz nos dedo ou no joelho por brincar de carrinho de rolimã;
Acender uma tocha de bombril e "arrodiá no escuro";
Imprestá as canetinha e dize "Mas não acarque";
É pedir pra mãe pra "Posá" no amigo, ou na amiga quando pequeno;
É ter se preocupado algum dia com a COTAÇÃO DA FICHA DA TRANSUL ao invés da do DOLAR, comprar pastel e suco ou qualquer outra coisa do mundo com essas fichinhas de ônibus;
Comprar bala e o dono da venda as vezes dava mais, as vezes dava menos dependendo da "inflação", ou do punhado que ele pegava no baleiro, as cinzas valiam menos que as azuis;
Bater bafo no colégio, rapelar os amigos e depois o amigo diz que era nas brinca, na infância ter misturado barro com água no pátio de casa e fingir que era nescau, caçar azedinha no meio da grama.
Depois de grande ir a algum shopping em qualquer parte do Brasil e fingir que aquilo é algo corriqueiro, e que também temos na nossa cidade (áááchhhh brabo)...
Ser Lageano é ouvir a palavra "covarde" e lembrar do João Amorim;
Ir na festa do asilo e voltar com 65 bolo, tudo o mesmo sabor, mas cada um com um sabor diferente se é que me entendem, "esse é de coco com mumu", " esse é de mumu com coco";
É levar o filho, o sobrinho, o neto pra brincar no tanque e voltar com os pé que é só areia;
Ir no salto e achar que ta na praia, ou entrar no rio caveiras e cuidar com as "chamichunga", e quando tá na praia age como se tivesse no salto, dentro da água grita pro amigo que ta la fora lagartiando: " Venha amê, não seje fresco, se pinche pra cá locoo, a água ta loca de especiá ";
Levar salame, queijo, pinhão, e o resto dos APETRECHO lageanos quando for "descer" pra praia;
Ser Lageano é ser Lageano aqui, em Florianópolis, em São Paulo, no Egito, ou seja lá qual for o lugar do mundo, quando alguém falar alguma coisa absurda aquela vontade de dizer " Mas pare home do céu" ( but stop man of the sky )...
Ser Lageano é chegar na "vuadera" numa conversa sem saber nem o que ta acontecendo;
Ser lageano é vestir "japona" e "muliton" em pleno novembro;
É ver o Puschalski ao meio dia e dizer: "esse home só ta errando ultimamente"
É comprar qualquer óculos de sol e dizer que é um rayban;
É por uma roupa elegante e ouvir alguém falar: Mazonjack vai nessa beca loco? 
Ou esquecer de cumprimentar alguém e ouvir um " escuite, durmimo junto ou o que?".
Ser lageano, é, ser Lageano é ser um ser Lageano, diferente de qualquer outro povo, cultura, costume, diferente de tudo aquilo que existe no mundo, ser lageano é uma dádiva de Deus.
É ver alguém fazer uma "cagada" na estrada ou em qualquer lugar e dizer, TINHA QUE SÊ LAGEANO, mas na certidão de nascimento o local onde nasceu também é Lages...
Ser lageano é algo inexplicável, por mais intelectuais que procuramos ser, as vezes soltamos um onjack, capaizome, por que não é algo como os outros acostumam a falar, é algo que a nossa terra, nossa princesa Lages nos dispõe, e não importa se tivermos 20,30,40 ou 90 anos, morando em qualquer lugar do mundo, sempre vamos lembrar da nossa cidade apesar dos pesares com um sentimento de SAUDADE DENTRO DO PEITO, SAUDADE QUE NEM O TEMPO, NEM OUTROS COSTUMES DE OUTROS LUGARES, OUTRAS COMIDAS, NADA, NADA PODE APAGAR.
Poderia ficar o dia todo especificando as peculiaridades do lageano e o que fazem esse povo ser tão loco de especiá, mas hoje to meio "LOMBO"...
Mas é por essas e por outras tantas coisas que tenho orgulho de dizer que SOU LAGEANO aqui ou em qualquer lugar do Brasil, por que agora podemos não dar valor a essas tantas coisas que só acontecem aqui, mas algum dia, quando todas as outras culturas morrerem e forem esquecidas, o lageano vai ta lá, com seu jeito humilde e guerreiro de ser, vai encher o peito e soltar um MAS PAAAAAAAAAAAAAAAAARE AMEEEEEEEEEEEEEEE, NÃO TA MORTO QUEM PELEIA !
Postar um comentário