21 de setembro de 2013

Passeios e viagens: Serra Gaúcha - Gramado, Canela e Bento Gonçalves

Em fevereiro de 2013 fizemos nossa tão sonhada viagem à serra gaúcha.
Desta vez não fiz bobagem, como na viagem pra Floripa, que eu contei aqui. Quando decidimos pela viagem comecei a pesquisar na internet, anotei os lugares que queria conhecer, os valores de entrada e etc, horários de funcionamento e fiz um roteiro para cada dia. Assim não precisaria ficar indo e voltando como aconteceu em Floripa.
É claro que o GPS, que levamos dessa vez nos ajudou muito, mas o planejamento antecipado nos poupou muito tempo, e algum dinheiro também. Além da oportunidade de conhecermos alguns lugares que não sabíamos que existia, e que descobri com minhas pesquisas na internet. Como, a linda e apaixonante Pousada Cantelli em Bento Gonçalves,o próprio Caminhos de Pedra, lugar incrível, o restaurante Nostra Cantina em Antonio Prado e outras descobertas.
Fomos de carro, ficamos hospedados no Hotel SESC em Gramado e na Pousada Cantelli em Bento Gonçalves. Fizemos as reservas com antecedência, então não houve correria nem desespero.
Foi logo após o carnaval, então quando todos estavam voltando de viagem, nós estávamos começando a nossa.
O roteiro foi o seguinte:
1º Dia:
Saímos de Lages por volta das 13 horas. Daqui a Gramado são mais ou menos 290km e uns 4 pedágios, e no google mapas diz que são 4 horas de viagem. Mas nós demoramos bem mais! Combinamos de ir com calma, devagar, quando achássemos algum lugar interessante, parar, tirar fotos, tudo bem relax!
A primeira parada foi em Antonio Prado/RS. No restaurante Nostra Cantina, é uma casa de pedra bem típica da região, tem restaurante, lanchonete e venda de produtos artesanais. Lá fizemos um lanche e comemos um pastel fritinho na hora, que foi um dos melhores da minha vida!!!
Como era durante a tarde e um dia de semana, não tinha ninguém lá, mas a moça que nos atendeu foi super simpática.

 No final da tarde, quase anoitecendo chegamos em Gramado. Não antes de nos perdermos um pouco em Caxias do Sul, mesmo com GPS, erramos alguma saída em Caxias, e tivemos que andar muito até achar um retorno.

Nessa noite caminhamos pelas proximidades do hotel, que fica em frente ao Holywood Dream Cars, e na mesma rua do Super Carros e do café colonial Bela Vista.

Fomos de carro até o centro da cidade, caminhamos um pouco e voltamos jantar no hotel.


2º Dia:
Pegamos a estrada Gramado-Canela.
A primeira parada foi no Reino do Chocolate - Caracol. É uma fábrica de chocolates que tem um pequeno parque temático. Pra quem é chocólatra como eu, é o paraíso!
Lá dentro tem uma cafeteria super simpática, onde as cadeiras têm formato de xícaras e a mesa de tablete de chocolate.



Segunda parada: Mundo a Vapor
Você paga uma taxa para entrar e lá dentro tem réplicas de tudo quanto é máquina movida a vapor. É super fofo. Também é possível tirar foto à moda antiga lá, você se veste de imigrante italiano e pousa para as fotos, que são reveladas em tom envelhecido.




Nessa estrada tem muitas opções de passeios, lojas e etc, nós deixamos muitas para trás, escolhemos apenas as principais.
No final da estrada estamos em Canela/RS.
A igreja matriz de lá é linda. É construída em estilo gótico (eu acho), linda demais.

Na frente da igreja tem uma construção muito bonita, que abriga algumas lojinhas. Em uma delas a Black Forest, encontramos esse boi bem gauchão!



Seguimos nosso roteiro em direção ao Alpen Park, que é um parque de diversões localizado em Canela.
Não é muito grande, mas dá para gastar um tempo lá, andando de montanha russa, trenó, etc. Também tem cinema 4D, tirolesa, passeios de quadriciclo e outras atividades "adventure"!


De volta à Gramado, ainda pela manhã, passamos no Gramado, lá olhamos as máquinas, mas não tivemos coragem de pagar R$ 790,00 para dirigir uma Lamborghini Gallardo ou uma Ferrari F430 Spider, por 8Km. Existem vários valores e vários modelos de carro, esse era o pacote mais caro na época, e se for só na carona também fica mais barato.

Passamos pelo Museu do Perfume Fragram, é uma pequena fábrica de cosméticos que mantém um museu muito bacana sobre a história do perfume.


Aí, então resolvemos almoçar! Procuramos uma casa de massas, que fosse bem típica, e escolhemos a Mamma Mia, tem um ambiente bem bonito e um serviço muito bom. A comida é deliciosa.


A tarde nosso primeiro destino foi o famoso Mini Mundo . Eu confesso que não estava muito empolgada com a atração, achava que era um pátio sem graça cheio de miniaturas, ideal para as crianças, mas fui surpreendida, apesar de achar meio caro o valor da entrada. É muito bacana. As miniaturas são muito perfeitas, e é usada uma escala para ficar tudo proporcional à construção original. É bem grande e tem miniaturas de obras e monumentos do mundo todo.


Saímos do Mini Mundo e fomos ao Lago Negro, que fica bem próximo. Lá caminhamos um pouco e descansamos, tomando um sorvete.  Lá além dos patos e marrecos do lago, também existem ilustres moradores felinos. Fiquei apaixonada pelos simpáticos gatos do Lago Negro.



À noite fomos ao centro de Gramado, visitamos a igreja matriz, o Palácio dos Festivais e jantamos em um restaurante na Rua Coberta.




3º Dia:
Após o café saímos novamente para a estrada Gramado - Canela, fomos à Casa do Artesão em Canela, e na volta chegamos na Don Collise vinhos finos, anexo à loja de vinhos tem uma loja maravilhosa de tapetes.
Esse era nosso último dia em Gramado, pois a tarde seguiríamos para Bento Gonçalves, são mais ou menos uns 120Km. Minha meta, nesse dia, era experimentar o tão comentado fondue de Gramado.


A propaganda que rola na cidade é uma tal de "sequência de fondue", resolvemos conhecer no almoço, antes de pegar a estrada.
Dentre tantos restaurantes caros, escolhemos o mais acessível para nós, reles e pobres mortais, o Restaurant Carlito's. Estava tudo ótimo. A sequência de fondue é uma delícia.







Partimos rumo à Bento Gonçalves.

Chegamos por volta das 16h, e fomos direto na Vinícola Aurora, que fica quase no centro da cidade. Por sorte uma visita guiada pelo interior da vinícola sairia dali a 15 minutos.
Conhecer uma vinícola por dentro, todo o processo de fabricação do vinho é muito bacana. Fiquei deslumbrada. A visita guiada é gratuita e após é oferecido vinhos e espumantes para degustação dos visitantes. A saída é pela loja da Aurora, é claro. E você não consegue sair sem comprar nada... é claro.




Já era final de tarde, quando nos encaminhamos para a Pousada Cantelli, onde tínhamos reserva de hospedagem.

Aqui preciso abrir um parêntese para falar desse lugar.
"A princípio o objetivo de ir à Bento Gonçalves era para conhecer as vinícolas. Mas durante as minhas pesquisas descobri o Caminhos de Pedra, é uma rota que passa por vários casarões antigos, todos de pedra. Achei maravilhoso e resolvi que além do Vale dos Vinhedos, a gente também iria conhecer os Caminhos de Pedra. Então, procurando um hotel em Bento Gonçalves, encontrei a Pousada Cantelli.  É um lugar encantador, que fica mais ou menos no meio do Caminhos de Pedra. Uma antiga casa de pedra, que foi transformada em pousada. Tem apenas 3 quartos.  2 pequenos no térreo e 1 quarto grande no piso superior. Nós ficamos em um dos quartos térreos. Não é cara, e vale muito a pena. Os proprietários são muito simpáticos, e tudo é muito lindo, confortável e limpo.Tive uma grata surpresa quando entramos no quarto e tinha um bilhete de boas-vindas assinado por todos da pousada, também amei os livros de poesia dispostos nas mesas de cabeceira. Enfim a pousada Cantelli é um lugar que eu super recomendo.
Sem falar no café da manhã, uma mesa cheia de delícias caseiras à nossa disposição. Suco de uva natural, produzido na propriedade, doces caseiros, frutas frescas, e tudo em uma mesa tão bem posta. Com simplicidade, mas tudo um mimo."


Chegamos na pousada Cantelli ao anoitecer, nos colocamos no quarto e saímos para jantar. Nesse dia o jantar não teve nada de glamour, comemos pizza!

4º Dia:
Pela manhã um nevoeiro cobria o quintal, tomamos o delicioso café da manhã da pousada e saímos para conhecer os Caminhos de Pedra.
A primeira parada foi nessa casa linda, que não tem visitação, mas tiramos fotos pelo lado de fora.

A Casa de Dodes Pidrebom, estava fechada, então fomos conhecer a Salumeria, outro lugar lindo. A gente é super bem recebido, tem explicação sobre a confecção do salame e degustação, e na lojinha tem artigos de salumeria, queijo e porquinhos (de pelúcia) para vender.



Na sequência "El Cantuccio del Pomodoro e de la Gasosa" (Casa do tomate e do refrigerante), e o refrigerante é natural, muito bacana. Tem uma breve história da casa e da produção de tomate e refrigerante e lojinha, é claro. Em anexo, tem foto à modo antiga, um galpão todo preparado para produzir fotografias envelhecidas como um autêntico imigrante italiano.


Na Casa da Ovelha, tudo é de ovelha! É muita fofura, tem ovelhinhas de pelúcia de todo tipo, cor e tamanho. Tem ovelhas de verdade é feita uma apresentação com elas, mas nós não assistimos. Na lojinha tem vários produtos oriundos do leite de ovelha, desde queijo e requeijão, até cosméticos.

A casa do Artesanato e das massas é uma fofura. Possui um pátio muito bem cuidado, com cata-ventos que, quando giram, dão vida aos bonequinhos serrando lenha. Um jardim com flores e nos fundos existe uma roda d'água que faz funcionar uma serra. A casa não é de pedra, é de madeira, e não tem pintura, mas o acabamento na escada e na varandinha na parte de trás é de uma delicadeza encantadora. Assim como o capricho lá dentro, com bordados e crochê enfeitando portas, paredes e móveis.
Ah, se eu pudesse comprar tudo de lindo que tem lá! E de gostoso também :) tem massas caseiras, como macarrão, agnoline, tortéi e etc, tem tortas doces, compotas, bolachas, um monte de coisa deliciosa!


Na casa ao lado, ficam a Casa da Tecelagem no andar superior (com os tapetes na janela), e uma loja que expões e vende trabalhos artísticos com pedras.




Quase em frente fica a Casa Vanni, que é um restaurante, ou casa gourmet, no porão. Nos fundos tem um gramado lindo, com cadeiras para os visitantes descansarem.



Em seguida há uma pequena vinícola, a Vinícola Salvati e Sirena.



Na casa da erva mate, você pode acompanhar como a erva é produzida artesanalmente.
A roda d'água que aparece na foto,  faz toda a engrenagem lá de dentro funcionar. São socadores e moedores de erva-mate, de várias épocas. Dou outro lado da rua, na casa da família Ferrari é possível comprar a erva-mate ali produzida, além de outros artigos para o chimarrão e também artigos da cultura gaúcha.



Visitar tantos lugares lindos bate uma fome, e bem, já era hora do almoço, então da casa da erva-mate, voltamos pelo caminho para almoçar no Restaurante Nona Ludia, que também é construído de pedras e foi muito bem recomendado. Detalhe: estava absolutamente lotado, e a fila de espera era enorme. Acabamos sendo vencidos pela fome, e fomos almoçar em um restaurante simples da cidade.
 Acho que notaram que usei excessivamente a "lindo" e suas variações, mas não tem como substituir, os Caminhos de Pedra são lindos, cada lugar é mais lindo  que o outro.


Após o almoço a ideia era conhecer o Vale dos Vinhedos,  porém, eu sugeri que fôssemos, antes visitar a Vinícola Salton, ela fica um pouco longe dos caminhos de pedra e vale dos vinhedos, já na saída da cidade. O marido topou, mas quando o GPS nos mandou pegar a rodovia e começamos a sair da cidade ele não gostou muito. Alguns quilometros depois finalmente chegamos à Salton, e valeu cada quilometro rodado.
Mais uma vez demos sorte, e a visita guiada sairia dali a 10 minutos.
A vinícola é linda, as caves de armazenamento dos barris são belíssimas. O guia explicou tudo sobre o processo de fabricação do vinho, e pudemos caminhar pela fábrica. A loja da Salton, também é muito bonita, muito bem decorada. Na frente da fábrica, tem um jardim lindo(!) e uma chafariz, e em  frente um enorme parreiral.





Agora sim, era hora de percorrer o vale dos vinhedos.
Mas estávamos bem cansados, e ainda enfrentaríamos a viagem de volta pra casa. Então fizemos o caminho do vale dos vinhedos, mas paramos  em poucas vinícolas, rapidamente.A maior delas é a Miolo, e em frente existe um hotel spa, maravilhoso e enorme! É o Hotel e Spa do Vinho Caudalie Vinothérapie.
Portanto, deixamos uma pendência, para uma próxima viagem, voltar à Bento Gonçalves e percorrer com calma o vale dos vinhedos, e se hospedar mais uma vez na Pousada Cantelli.




 Hotel Spa do Vinho


Assim foi nossa viagem à Serra Gaúcha, encantadora. Uma Lua de Mel. Tudo muito lindo e perfeito.
Mas se me perguntassem qual a cidade eu mais gostei, eu diria com absoluta certeza: Bento Gonçalves. Não que não tenha gostado de Gramado e Canela, que são ótimas, cheias de opções, e muito glamourosas, porém, acho que Bento Gonçalves combinou mais comigo! Vinho!!! Além do vinho, o caminho das pedras, todo o ambiente de cultivar o que é da terra, o que é artesanal, manter vivas as raízes, a proximidade com as pessoas. Aliás, as pessoas todas, dos estabelecimentos dos Caminhos de Pedra, são extremamente simpáticas, nos tratam tão bem que nos fazem sentir-nos da família. Bento Gonçalves... voltaremos qualquer hora dessas.
Postar um comentário