22 de julho de 2013

Buenos Aires (junho/2013) - Parte 3


2º dia em Buenos Aires - Domingo

Domingo em Buenos Aires é uma unanimidade nos sites de viagem: “Feira de San Telmo”.
E como nosso hotel ficava na rua Defensa, exatamente a rua da feira, fomos passear por ela, pela manhã. Estava frio e garoando, mesmo assim criamos coragem, compramos um guarda-chuva e botamos o pé na feira.
A feira é muito bacana e enorme. O hotel ficava bem no início (uma quadra do início) Não conseguimos caminhar até o final, a feira percorre a rua toda.



Além das barraquinhas que são armadas no domingo pela manhã, o comércio da rua também abre. Existem muitos antiquários na Rua Defensa, cada um com coisas mais lindas que o outro. Visitamos também uma pequena galeria de arte. Mas o forte da feira é o artesanato regional e as antiguidades. Muito crochê, roupas e objetos em couro, calçados artesanais, cutelaria, bolsas, e uma infinidade de objetos em porcelana. Haviam aqueles jogos de chá antigos com desenhos de flores, lindos!
Também alguns móveis artesanais, e lojas de objetos decorativos. É claro que tive que praticar muito o autocontrole, pois dá uma vontade de comprar uma coisa de cada.

 

 


 

 
 
 
 

Demos uma caminhada por San Telmo, passamos pela Faculdade de Engenharia, e uma praça simpática que existe em frente. Tomamos um café no Café Rivas, e voltamos pela feira.


 
No caminho entramos na Igreja e Convento de Santo Domingo, que fica bem na esquina do hotel.
 
 


 

 

Saímos da feira por volta das 11h, e o marido queria andar de metrô. Nunca andamos de metrô. Então resolvemos ir ao Abasto Shopping  de metrô, pois ele fica um pouco longe do centro.
De mapa na mão e um pouco inseguros, pegamos o metrô na estação próxima à Casa Rosada. A tarifa é irrisória apenas 2 pesos, o que equivale hoje a mais ou menos R$ 0,80.
Como era domingo, o metrô estava vazio e tranquilo. Foi bem fácil se localizar, os mapas nas estações são muito claros, não dá para se perder. Desembarcamos na estação do shopping abasto, e da estação você entra direto no shopping.





O shopping Abasto é bem grande e muito bonito. Almoçamos por lá, caminhamos e olhamos vitrines, nada de muitas compras!
 
Essas fotos são do site do shopping, minhas fotos de lá não ficaram boas.

 

De lá pegamos outro metrô para o bairro da Recoleta. Chegamos na estação e tivemos que caminhar um pouco até o bairro, mas com o mapa em mãos foi bem fácil se localizar.
Fomos a um shopping de decoração na Av. Pueyrredón, o “Buenos Aires Design”, é o paraíso das metidas a decoradoras (como eu!). Muitas lojas lindas, restaurantes e cafés. Lá também fica o Hard Rock café Buenos Aires.
 
 
 
Depois do shopping fomos à Igreja Nuestra Señora del Pilar, fica em frente à Plaza Intendente Alvear (mais conhecida como Plaza Francia), onde também tem uma feira de artesanato.
A igreja é pequena mas é linda, o altar é todo trabalhado , mas minhas fotos ficaram muito ruins porque o ambiente é um pouco escuro.

 
Essa foto é do site Buenos Aires Landscapes pois as minhas ficaram, muito escuras.
 

Ao lado da igreja encontra-se o Cemitério da Recoleta, que por mais estranho que pareça é outro ponto turístico da cidade. Lá está enterrada a famosa Evita Peron. Caminhamos um pouco por lá, mas não encontramos o tumulo dela, e como já era final da tarde, não fizemos a visita guiada. Mas pudemos ver várias obras de arte nos túmulos e mausoléus.




 
 
A grata surpresa que tive no Cemitério foram os gatos. São muitos gatos que “moram” lá. Pretos, brancos, amarelos, mesclados e bicolores, todos lindos e fofos. A maioria, simpaticíssimos, chegam perto e aceitam nossos carinhos.


 


 
Saindo do cemitério, eu gostaria de ter ido ao MALBA - Museu Nacional de Belas Artes, que fica ali pertinho, mas já estava fechado. Atravessamos uma passarela quase de frente para a faculdade de Direito de Buenos Aires e ao lado, na Plaza de Las Naciones Unidas, visitamos a famosa Floralis Generica , que é uma obra de arte gigante. Uma  grande flor feita em aço inoxidável com esqueleto de alumínio  que pesa 18 toneladas e atinge 23 metros de altura.


 
 
De lá caminhamos mais um pouco até a estação do metrô para voltarmos ao hotel.
Nessa noite estávamos muito cansados, pois caminhamos muito. Muito mesmo. Resolvemos não sair para jantar por causa do cansaço e ficamos no hotel.

 

 

 
Postar um comentário