27 de dezembro de 2012

Música Grude: Amanhecido

Conheci essa música no CD 100% Gaúcho do Tchê Barbaridade, mas depois descobri que ela foi cantada originalmente pelo Fabiano Bacchieri e também está em um CD do César Oliveira e Rogério Melo.

(desisti de colocar letra e música porque não encontra a informação de quem são os autores)
Ritmo: Vaneira/ Chamarra
Quem eu ouço cantando: Tchê Barbaridade (não me cruxifiquem, mas na voz do Feijó ficou muito boa. Mas eu tenho plena consciência de que o Tchê Barbaridade ainda não está 100% gaúcho como afirmam.)
Trecho preferido:
"Por cristão rogo assobiando
Uma vaneira pro céu
Pois na encilha achei minha alma
Perdida neste mundel"


Amanhecido cantado pelo Tchê Barbaridade


Amanhecido cantado pelo Fabiano Bacchieri
 
Amanhecido
César Oliveira e Rogério Melo






Amanhecido

A manha pedindo cancha
Sobre a missa dum balcão
Onde o padre é um bolicheiro
E a canha que dá a benção
Vão doutrinando os paysano
Num batismo de fronteira
Que vai fazendo um esparramo
Na ideia de quem claria


Quem rezou a noite inteira
Num altar tradicional
Campiando o rumo das casa
É pecador do ritual
Ainda vai retumbando
Na cabeça um bordoneio
O sol cozinha sem pressa
Quem vai firmando os arreio


Nas rédeas o santo rosário
Que vem o corpo benzendo
Pena que a borracheira traz
As duas mãos tremendo
Sorte um pingo da confiança
Que ainda conhece o prumo,
Pois quem segue pela estrada
Multiplica o próprio rumo


Mas de fato pouco importa
O que fiz de madrugada
Pois o fim foi na porteira
Bem na hora da pegada
Por cristão rogo assobiando
Uma vaneira pro céu
Pois na encilha achei minha alma
Perdida neste mundel


Na farra e golpeando trago
Fiz render mais um domingo
Pois galo da fronteira mete
Até quase dormindo
Eu sou crente desta igreja
Onde a canha é quem batiza
No culto manda quem pode
Obedece quem precisa !


Postar um comentário