14 de julho de 2011

A ESPOSA DO LENHADOR

Mais uma piadinha "ótema" das que recebo por e-mail!

______________________________________________________________________

Um velho lenhador adoeceu e sua dedicada esposa foi à floresta cortar lenha, única fonte de subsistência do casal. Inábil no manuseio do machado, ela o deixa cair no rio.
Desesperada, apela aos céus:
- Valha-me, Deus!!!
E Deus aparece.
- Por que choras assim, mulher?
- Oh, meu Deus!!! Meu machado caiu no rio, não sei nadar, sem ele não conseguirei cortar lenha e eu e meu marido morreremos de fome.
Deus mergulha no rio e de lá traz um machado de ouro maciço.
- É este o teu machado, mulher?
- Não, meu senhor. Não tenho dinheiro para ter um machado de ouro.
Deus mergulha novamente e dessa vez traz um machado de prata.
- É este teu machado, mulher?
- Não, meu senhor. Sou pobre e não posso ter um machado de prata.
Deus mergulha pela terceira vez e traz o machado dela.
- É este teu machado, mulher?
- Sim, meu senhor, é esse. Muito obrigada.
Deus então, feliz pela honestidade da mulher, a presenteia com os três machados.
A vida do casal muda por conta do dinheiro conseguido com a venda dos dois machados valiosos.
Depois de alguns anos, o casal vai visitar aquela floresta, para recordar os velhos tempos. O lenhador escorrega e cai no rio. A mulher, desesperada, novamente apela aos céus:
- Valha-me, Deus!!!!!!!!!
E Deus aparece.
- Por que choras, mulher?
- Meu marido caiu no rio e não sabe nadar.
Deus mergulha no rio e surge com o Antônio Banderas


- É este teu marido, mulher?
- Sim, sim. É esse meu senhor!!!
Deus se enfurece:
- Mulher desonesta e mentirosa! Como ousa tentar enganar-me?
- Não é isso, meu Deus. É que pensei: se eu disser que não, ele vai mergulhar de novo e trazer-me o Brad Pitt. Vou dizer que não e aí ele trará meu verdadeiro marido. Como recompensa pela minha honestidade, dar-me-á os três homens e como não posso praticar trigamia, achei melhor aceitar logo o primeiro que me trouxestes.
Convencido pela justificativa da mulher, Deus a deixa ficar com Antônio Banderas.


*Moral da estória*

MULHER QUANDO QUER, MENTE DE UM JEITO QUE ATÉ DEUS ACREDITA!

Postar um comentário