10 de março de 2011

A vida em movimento

E um dia a gente acha que as coisas vão bem, que tudo está lindo e em seu devido lugar, que há calmaria e que daí pra frente tudo será assim...lindo.
Aí vem um furacão, não sei de onde e não sei por que e balança tudo, muda algumas coisas de lugar, o que era pode deixar de ser, será que pode deixar de ser?
E o que não era, o que não se sonhava nem nos mais remotos sonhos poderia ser, será que poderia ser?
A vida é um movimento contínuo e, agora entendo, se engana quem acha que estará sempre confortável em sua posição, os ventos vêm, a chuva cai, o sol volta a brilhar, mas sempre há movimento.
Nada fica parado muito tempo sem se tornar malparado.
Até que ponto o lindo é lindo? Será que não pode tornar-se mais lindo?
Até que ponto a felicidade é verdadeira? Quando vai se tornar apenas um passar de dias de conformismo?
Um mate cevado, uns pensamentos a fervilhar as idéias, uma música que toca, um verso que combina...
Por que temos que ter certeza sempre?
Por que não nos dar ao luxo da dúvida?
Por que quando se planeja com cuidado não acontece o esperado?
Por que quando menos se espera a vida ganha tons coloridos, sobre os velhos e amarelados dias que iam se arrastando pouco a pouco numa felicidade contida.
E quando a vida se coloriu o mundo ficou mais colorido, pois os olhos que miram o mundo é que lhe colocam cores.
É bom sentir o coração bater.

Florecita
Postar um comentário