14 de maio de 2009

7 tipos de colega de trabalho


Os 7 tipos de colegas de trabalho quenos tiram do sério

Gente irritante existe em toda parte. Mas quando ela fica sentada bem do seu lado das 9 às 6... Haja paciência!
Na maioria das vezes, a melhor forma de lidar com alguém de dar nos nervos é manter-se a quilômetros de distância. “Mas no trabalho não é possível escolher quem vai passar o dia do seu lado”, observa a estrategista de marketing Rachel Weingarten. “E você não pode ignorar um elemento da equipe porque isso afetará sua carreira.” É, minha cara, sinuca de bico. Verdade que colegas irritantes acabam por ser descobertas cedo ou tarde. “Via de regra, ou vão encontrar outro emprego ou você vai”, lembra Sheila Heen, autora de Conversas Difíceis (Alegro). Agora, enquanto esse dia não vem... nada de tratar todos os seres inoportunos do escritório da mesma forma. Aqui, ensinamos algumas táticas para você tirar de letra o convívio com sete tipos bem comuns, sejam eles homens ou mulheres.
A Fofoqueira
A mulher sabe tudo — desde quem está tendo um caso até quem será o próximo a ir para a rua. Ser a presidente da Central de Informações do Escritório faz com que se torne divertida. No entanto, fique atenta. Já percebeu que a moça também mostra muito interesse pela sua vida? Vai dizer que ela nunca lançou perguntas como “Quem era aquele com quem você estava almoçando?” Como neutralizar a tal Tente distraí-la em vez de perder seu tempo explicando o mal que a língua solta dela provoca — a fulana acabaria tachando você de quadrada e a envolvendo na próxima história fantasiosa que inventar. Quando a maricota começar a tricotar sobre a vida amorosa do chefe, volte o foco para casais famosos como Angelina Jolie e Brad Pitt. Outra tática é convencê-la de que você tem uma rotina desinteressante, entregando os detalhes mais mornos possíveis. Vale descrever como passou o fim de semana todo ajudando os pais a se mudar de casa ou contar o que fez para se livrar de traças que invadiram seu armário. “Não é apetitoso fofocar sobre alguém normal”, diz Rachel.

A Falsa
Em princípio, seus comentários quase sempre soam como elogios. Quase: “Adoro a forma como você se coloca nas reuniões... Fala o que pensa sem se importar com o que os outros vão achar. Quem mais teria coragem para fazer isso?” Não é à toa que sua voz interior fica buzinando no seu ouvido: “Cuidado com ela! Esse sorriso não inspira confiança...” Como neutralizar a tal “Nada atinge mais uma colega maliciosa do que ser tachada de boazinha”, garante Rachel. Por isso, a atitude esperta é entrar no jogo e também fingir que a preocupação hipócrita dela é sincera. “Mesmo que seja difícil, olhe para a sicrana e diga: ‘Nossa, obrigada por perceber! É verdade, eu sou bastante direta e defendo meus pontos de vista!’
A perfeitinha
Ela cozinha e traz bolos deliciosos para o escritório. Quando arquiva um relatório, usa código de cores e capa brilhante. Em reuniões, está sempre cheia de iniciativas e idéias para novos projetos. E mais: sempre com as unhas feitas e sem um fio de cabelo fora do lugar! Arg! Como neutralizar a tal? Entenda que, provavelmente, ela não deseja irritá-la nem se sobrepor a você. “Bem capaz que deseje apenas mostrar que é valiosa para a equipe”, diz Sheila. Para fazê-la baixar um pouco a mania de perfeição, basta falar que, apesar de admirar sua paixão pelo trabalho, ajudaria bastante se ela discutisse os novos planos com quem estiver diretamente envolvido antes de levá-los a reuniões maiores. Dessa forma, ninguém terá de lidar com deadlines irreais ou com mudanças súbitas na agenda. Lembre-se ainda de dar à garota o devido crédito por seu esforço. “Talvez ela queira se destacar por medo de não ser vista ou valorizada por suas contribuições. Ao se sentir mais segura, vai relaxar”, garante Sheila.
A ladra de idéias
Essa colega tem a capacidade de se apropriar do seu projeto brilhante e fazer com que pareça que foi dela. Pior: a moça age assim nas reuniões do grupo. Assim que você começa a falar sobre uma nova idéia ao chefe, a fulana passa a discorrer sobre o mesmo assunto e revela como havia pensado justamente naquilo na semana anterior! E a dissimulada é tão convincente que, em um piscar de olhos, todos esquecem quem era a verdadeira idealizadora. Como neutralizar a tal? Escreva, documente tudo o que criar. Quando tiver uma grande idéia para apresentar, mande por e-mail para várias pessoas. Assim, vai gerar evidências concretas do seu trabalho, com data e hora. Se planeja surpreender o chefe durante uma reunião, leve material impresso rico em detalhes. E cultive um canal de diálogo com ele. “Quando você vende suas contribuições diretamente ao superior, essa colega acaba tendo pouco impacto no seu sucesso”, diz Caitlin Friedman, autora de Mulheres no Comando (Verus).
A grudenta
A moça se senta bem perto da sua mesa e conta tudo sobre a vida dela. Fala sobre o namorado que vive aprontando, sobre a vizinha que a incomoda... Sempre em diálogos intermináveis, enquanto você tenta fechar aquele relatório urgente. Como neutralizar a tal? Limite as expectativas da garota. É impossível ignorá-la, mas você pode determinar quando e por quanto tempo socializar. Então, da próxima vez que encontrá-la perto da máquina de café, puxe o freio de língua antes de a moça começar a desfiar a novela de idas e vindas com o companheiro cafajeste. “Diga algo como ‘Isso parece muito difícil mesmo. Eu queria poder dar mais atenção, mas hoje não dá. Que tal um almoço um dia desses para a gente conversar melhor?’”, sugere Sheila Heen.
A folgada
Não é que ela não faça nada. Afinal, paga suas contas pela internet, planeja a viagem do feriado... Só não atua muito pela empresa. A moça tem habilidade para evitar que o trabalho chegue à mesa dela, esquivando-se com desculpas como “Ah, você deveria falar com a Carol, ela sabe tudo sobre esse assunto”. Como neutralizar a tal? Pare de fazer as tarefas dela. Combine com a chefia quem ficará responsável por cada atividade. Se não funcionar, fale com seu superior. Você não precisa necessariamente denunciar a tal. Buscar um conselho já basta. “Vale comentar: ‘Estamos com dificuldade para conseguir que fulana entregue seu trabalho no prazo e não sei como lidar com essa situação’”, sugere Sheila. Boa sorte!
A reclamona
Na visão da garota, o café é fraco; o gerente, sem noção. Ninguém percebe quanto ela se dedica pela empresa... Socorro! Ficar na companhia dessa colega não só é deprimente como também prejudica a sua imagem. “Afaste-se da reclamona, sob pena de acabar sendo demitida”, alerta Caitlin. “Esse tipo é geralmente o primeiro a ser mandado embora no caso da entrada de um novo superior. Não a deixe levá-la junto.” Como neutralizar a tal Esbanje o que ela não suporta: otimismo. Da próxima vez que a ranzinza começar a listar os defeitos da empresa, responda com frases como “Vamos ver pelo lado positivo!” Ela sairá de cena rapidinho. Ao notar que você não está entrando no jogo, vai procurar outro ouvinte.


Postar um comentário