13 de abril de 2009

Vinhos - parte I


Desde que fomos morar juntos eu e meu marido começamos a comprar vinhos para colecionar, começamos de brincadeira e agora já temos vários. Estamos é precisando de uma adega pois os coitados estão guardados no armário.
O negócio é que fomos comprando, comprando, pelas embalagens, pelo formato, sem ter nem noção de como escolher, essas coisas de safra, tinto, suave, demi-sec... estamos aprendendo na marra (rsrsrs). Por isso estou pesquisando na internet algumas orientações sobre o assunto, e o que eu for encontrando vou postando aqui para ficar arquivado.

Principais Tipos de Vinhos

Os Vinhos podem ser classificados:
1. Quanto a Classe:
1.1. De Mesa É o vinho com graduação alcoólica de 10° a 13° GL. E estes se classificam em:
• Vinhos Finos ou Nobres: Os vinhos produzidos somente de uvas viníferas.
* Vinhos Especiais: Os vinhos mistos produzidos de uvas viníferas e uvas híbridas ou americanas.
• Vinhos Comuns: São os vinhos com características predominantes de variedades híbridas ou americanas.
• Vinhos Frisantes ou Gaseificados: São os vinhos de mesa com gaseificação mínima de 0,5 atmosferas e máxima de 2 atmosferas.
1.2. Leve - É o vinho com graduação alcoólica de 7° a 9,9° G.L. Elaborado de uvas viníferas.
1.3. Champanha - É o vinho espumante, cujo Anidrido Carbônico seja resultante unicamente de uma segunda fermentação alcoólica de vinho com graduação alcoólica de 10° a 13° G.L.
1.4. Licoroso - É o vinho doce ou seco, com graduação alcoólica de 14° a 18° G.L. Adicionado ou não de álcool potável, mosto concentrado, caramelo e sacarose.
1.5. Composto - É bebida com graduação alcoólica de 15° a 18° G.L., obtida pela adição ao vinho de macerados e/ou concentrados de plantas amargas ou aromáticas, substâncias de origem animal ou mineral, álcool etílico potável e açúcares. São o vermute, o quinado, o gemado, a jurubeba, a ferroquina e outros.
2. Quanto a Cor
2.1. Tinto - Elaborado a partir de variedades de uvas tintas. A diferença de tonalidade depende de tipo de fruto e maturidade.
2.2. Rosado - Produzido de uvas tintas, porém após breve contato, as cascas que dão a pigmentação ao vinho são separadas. Obtém-se também um vinho rosado pelo corte, isto é, pela mistura, de um vinho branco com um vinho tinto.
2.3. Branco - Produzido a partir de uvas brancas ou tintas, a fermentação é feita com a ausência das cascas.
3. Quanto ao Teor de Açúcar
3.1. Seco - Possui até 5 gramas de açúcar por litro.
3.2. Meio Doce - Possui de 5 gramas a 20 gramas de açúcar por litro.
3.3. Suave - Possui mais de 20 gramas de açúcar por litro.

° O vinho, acompanhando ou não, uma refeição ou aperitivo, deve-se adequar a todo um contexto do momento, harmonizando-se com o paladar da comida, ocasião e clima.
° Além de um complemento gastronômico, o vinho também é utilizado para adicionar um toque especial ao paladar de certos pratos, começando pela já tão conhecida “vinha de alhos”.
Como guardar: Os vinhos devem ser guardados, de preferência na posição horizontal, em local com pouca luminosidade, e cuja temperatura não deve ultrapassar os 20°C.
Temperatura:Para resfriar o vinho recomenda-se um balde com gelo, ou até mesmo a geladeira, mas jamais o freezer, porque o choque térmico tende a modificar as características.Quanto à temperatura, não há que seguir regras impostas, e sim adequá-la ao gosto da pessoa, embora seja razoável levar em consideração alguns critérios básicos:
Espumante: O espumante deve ser gelado, para que a espuma se torne mais refrescante.
Vinho tinto: Vinho tinto, no inverno, deve ser tomado na temperatura entre 15 a 20°C, mas nada impede que, no verão, ele seja colocado na parte mais baixa da geladeira, por mais ou menos 30minutos.
Vinho branco: Vinho branco, no verão, deve ser degustado numa temperatura entre 8 a 10°C, e para isso, conservado num balde de gelo. No entanto, no inverno, a temperatura pode ser mais amena, e o balde de gelo, dispensado.
Vinho rose: Vinho rose, é um ponto intermediário de branco e tinto, e o critério para a sua temperatura deve harmonizar com o clima.

A arte de degustar:_ Anule qualquer interferência no paladar, inclusive o fumo, ou qualquer outra bebida que não seja água._ Coloque uma pequena quantidade de vinho no copo adequado._ Passeie os olhos pelo liquido, analisando sua cor, reflexos, limpidez e brilho._ Aproxime o copo do nariz e concentre-se no aroma que dele exala. Gire o copo suavemente, enquanto vai percebendo novos aromas se desprendendo._ Leve o copo até à boca e sorva um pequeno gole, permitindo que o vinho entre em contato com as diferentes regiões da língua, pois cada uma capta um sabor distinto._ Tente decifrar a linguagem do vinho, contida em cada segmento, e procure definir com a sua linguagem, cada traço que o compõe.
Como acompanhar:
° Apesar de algumas regras básicas que deverão ser levadas em conta, para que se possa apreciar o vinho em toda a plenitude das suas características, o paladar é pessoal, e alguns conceitos podem ser inovados, desde que não resultem em grandes desastres.
° Nunca sirva coquetéis como aperitivo, pois estes irão alterar a sensibilidade do paladar, para os vinhos a serem servidos durante a refeição.
° Rosados e espumantes podem acompanhar todos os segmentos de uma refeição.
° Se servir vários vinhos a uma refeição, comece pelo mais leve e fraco, e termine com o mais forte e encorpado.
Vinhos não devem acompanhar:_ Saladas temperadas com vinagre, pois o seu aroma ácido, altera o de qualquer vinho._ Pizzas, devido à acentuada combinação de temperos._ Sobremesas ácidas ou muito doces.
Nota: Mesmo que se abra uma exceção com vinhos brancos doces, para cremes de baunilha, e tintos doces, para cremes de chocolate, evite usar vinhos brancos, roses ou tintos, secos, para qualquer tipo de sobremesa.
Postar um comentário